domingo, 17 de março de 2013

Beira-Inspiração

Olá a todos!

Resolvi escrever este post, visto a minha atual condição: encontro-me num dia particularmente incompreendido.

Não me estou a fazer entender? Bem, a verdade é que, hoje, tudo me fascina... sinto que qualquer coisa daria um bom tema para ser apresentado em prosa ou poesia (desde o mais simples dos objetos, até o mais fascinante da existência de cada um).

Todavia, nada me emerge à mente em forma de palavras bem definidas. Tudo me surge em essência, em sentimento, preenchendo-me, mas não me permitindo colocá-lo por escrito.

Daí, eu poder afirmar que me encontro à beira-inspiração: não estou inspirada, porque se o estivesse criaria arte que pudesse ser mostrada ao mundo; mas também não estou longe dela, doutra forma não seria interpelada constantemente por vultos de ideias, e quadros imaginários pouco perceptíveis.

Se há algum problema? Estar à beira-inspiração é tão desconcertante como fascinante: são nestes dias que as pessoas possuem verdadeiramente o universo, só não são capazes de o partilhar.

Vou aproveitar o meu estado de mente/alma para me centrar em obras já criadas de pessoas fantásticas como Fernando Pessoa ou José Saramago, e tentar assimilar o máximo da sua natureza.

E é assim que me encontro, à Beira-Inspiração!

Sem comentários:

Enviar um comentário