quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

No meu sorriso... - poema

Fiz este poema numa tarde em que estava a fazer exercícios de matemática e a minha cabeça andava a vaguear...


Nos cantos mais recônditos
E profundos do meu ser,
Procuro uma marca, um sinal.
Remexo em incertezas persistentes…
O que vale a pena afinal?

 Resolvo contas e problemas,
Para ocupar a minha mente…
Mas este sentimento angustiado
É algo, em mim, sempre presente.

 A calma da minha cadeira,
Torna-me a respiração ofegante.
Pareço calma e concentrada:
É a mentira do meu semblante!

 Este problema não se resolve,
Ainda não lhe dei um fim.
Por agora são só número soltos,
Cuja solução não descobri.

 Solto gritos inaudíveis,
Cuja alma é incompreendida…
Aprendo tanto, vou tão longe,
Para ver que não saí da partida.

 Leio, escrevo, e volto a escrever,
O lápis está-se a desgastar…
Pois eu deixo-o diminuir,
Até com os dedos na folha tocar.

Espero algo encontrar,
Algo de que preciso,
Divirto-me, vivo, sorrio
Mas a insatisfação esconde-se
No meu sorriso…

Espero que tenham gostado!

Sem comentários:

Enviar um comentário