quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Dia Feliz

Encontro-me sentada na pequena casinha do meu quintal. Trata-se de uma casinha de plástico transparente baço, de onde se vê o vulto da linda paisagem que me rodeia. É neste lugar, quente de dia e acolhedor à noite, que leio, trabalho, e tenho muitos dos meus pensamentos.
  Hoje, sinto-me particularmente feliz, motivo pelo qual resolvi marcar pela escrita alguns dos momentos que serviram de peças do puzzle da minha alegria diária.
  Não há palavras para descrever a grandiosidade das pequenas coisas da vida: acordar com energia no espírito e música na voz (refiro-me às minhas cantorias matinais); a sensação de paz que sinto ao sair de casa com a música dos fones dos fones a servir de orquestra à rua molhada, às flores e ao crescente sol que me acompanham no percurso até à paragem; como me alegra a alma as parvoíces que faço com os meus amigos, os seus sorrisos e risos escangalhados – como são importantes na minha vida!
  Contudo, a minha felicidade não se resume a isso. De regresso a casa fui recebida por um tempo de chuva miúda, que me saudou com gotas de água límpida escorrendo pelo meu rosto, limpando a minha essência e acolhendo-me no seu leito. Meu Deus, como é bom sentir o cheiro das espécies vegetais que habitam o meu jardim e a vizinhança. Como é bom poder aproveitar tais maravilhas! Como posso alguma vez não me sentir sortuda quando mal entro em casa sou recebida por uma cadelinha em plena alegria por me ver de volta a casa?
  Neste dia, senti o meu coração a bater intensamente…e quando sinto que posso ir a qualquer lugar, é porque sei que estou perfeitamente bem onde estou.

Sem comentários:

Enviar um comentário