quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Amor - poema

Hoje estava inspirada e aproveitei para fazer o segundo poema (para compensar os dias em que não faço nada).

Amor

Oh Inocente e doce felicidade
Do pensamento de que amamos!
Quando tudo é controlado,
E escolhemos os nossos enganos…

Damos-lhe a sua graça,
Vemos o seu lindo olhar,
Construímos a emoção…
Dizemos que estamos a amar,
Mas não se perde o coração.

Mas quando este nos assalta,
Silencioso e matreiro,
Sentimo-nos perdidos…
Ganhámos e Perdemos
O mundo inteiro.

Passamos do triste ao feliz,
Da racionalidade à ilusão.
Vemos flores e corações,
Seguidos de incompreensão.

Quem não tem rédea curta,
Começa a agir sem pensar…
O que é isso de controlo?
É o Amor a controlar!

O que é a racionalidade?
Continuamos a tê-la?
Será que o faríamos
Noutras condições?
Estaremos a perdê-la?

Sentimento tão maravilhoso,
Que nos faz levantar!
Que bela pureza cruel,
Que nos deita na cama a chorar…

O Amor preenche-nos,
Está presente em cada segundo…
Aparece quando menos esperamos,
E muda o nosso mundo!

Espero que tenham gostado :)

Sem comentários:

Enviar um comentário