segunda-feira, 31 de dezembro de 2012


Olá a todos!

Estamos a finalizar 2012 e prestes a entrar num novo ano, 2013. Já prepararam os vossos 12 desejos?

Eu já! Não são esses os desejos que partilharei neste post, mas sim os que espero, para todos, para este ano que se avizinha.

Lista dos 12 Desejos:
1 - Que consigam realizar os vossos desejos mais verdadeiros.
2 - Que vivam em grande felicidade.
3 - Que encontrem a paz e a calma interior que procuram.
4 - Que vivam muitas emoções e experiências positivas.
5 - Que tenham poucos obstáculos e os enfrentem com força e confiança.
6 – Que o amor vos sorria.
7 – Que a esperança não vos abandone.
8 – Que a saúde esteja convosco.
9 – Que o medo e o negativismo não vos toldem quem são.
10 – Que tanto a chuva como o sol sejam igualmente belos.
11 – Que a verdadeira amizade seja encontrada e permaneça.
12 – Que mostrem e espalhem o vosso mais sincero sorriso, diariamente.

Feliz 2013 a todos!

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Dor de Estômago


Fui correr, já não o fazia há algum tempo. Senti-me mal, devo ter exagerado no tempo, visto se a primeira vez...

Agora estou sentada nas mesinhas de madeira, a ver se o enjoo passa, enquanto escuto involuntariamente a conversa de dois velhotes que estão na mesa ao lado. Falam do tempo e do bem que andar faz à saúde (não podia estar mais de acordo).

Continuo imóvel a concentrar-me na respiração, parece que a má disposição já melhorou um pouco…

Já repararam na poluição que se alastra por todos os recantos do nosso planeta? Aqui, junto ao rio, com este ar fresco de Inverno e o rio como paisagem, não precisava de plástico, latas e papéis nas ervas para completar o quadro do dia. Se a terra sentisse estaria como o meu estômago, quase a vomitar...  O sossego e o respirar ajudam-no a acalmar-se, ajudará o mundo?

Levanto-me calmamente e ando a um ritmo lento e pouco habitual, para ir ter com a minha avó que me quer oferecer chá e bolo.  Já repararam como o Inverno pode ser bonito? A frescura, o sol, a relva molhada,…? Acho que o enjoo ainda não me abandonou completamente … já repararam como andam quando vos dói o estômago? 

Até me apetece rir de mim mesma…

Pelo menos aumentou o meu espírito crítico e fez-me pensar com mais clareza…será por isso que nos querem levar à pobreza, à fadiga? Para nos abrirem os horizontes? 
Tão queridos!!! Mas não é preciso, dor de estômago imposta não resulta, essa só nos leva a tristeza e depressão, mas não se sintam mal, a intenção é que conta!

A dor de estômago só tem benefícios se ocorrer espontaneamente, com esforço, artisticamente, ninguém é mais feliz por ser obrigado a passar fome!

Estou quase a chegar ao meu destino, vou guardar a folha de papel e o lápis que levo sempre comigo…Feliz Natal!


quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Onde a tua mente te consegue levar?

Fecho os olhos e sou transportada para outra dimensão, um mundo só meu, onde inconscientemente o crio e vivo nele com total surpresa. Sinto o tocar dos pés descalços, pela primeira vez, na erva macia, o vento fresco a dançar com os meus cabelos, e o sol a embalar-me nos seus braços...

Abro os olhos e penso como tudo o que é imaginado é tão parecido com o real, mas com a vantagem de que o que vem de nós leva à criatividade, ao sonho, à escrita, à arte.

Preservaste a tua imaginação e continuas a conseguir criar o que não te é palpável? Sente a felicidade de tamanha habilidade e aproveita-a.

O planeta é um local maravilhoso, que pode mostrar todo o seu esplendor se o pintarmos com as cores que vêm do mundo de cada um.

Viva a Imaginação!

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

domingo, 18 de novembro de 2012

‎A vida é como um livro: ou lemo-la com atenção,

saboreando uma página de cada vez, ou saltamo-la, lendo-a

transversalmente.

Encontrar Motivação


Olá! Bem-vindo (a) ao meu blog!

No dia de hoje, não vou escrever grandes textos, porque vou dedicar-me ao estudo (tem de ser). Mas aproveito para partilhar convosco o que me faz ter incentivo para estudar, mesmo nos dias mais preguiçosos.

Dado que nos últimos dois dias tenho andado constipada, dediquei-me a filmes, cama e jogos e desleixei-me completamente para a vida estudiosa e científica. Como seria de esperar, não podia passar mais um dia naquela "boa" vida e hoje tive de começar a trabalhar a sério. Por outro lado, como devem saber, quando passamos dois dias sem qualquer tipo de esforço, físico ou mental, o corpo demora algum tempo para ganhar vontade de "fazer alguma coisa".

Acordei sem vontade de trabalhar, e o que fiz?

Nada melhor para despertar o corpo e a alma do que um bom exercício matinal (o exercício é um dos meus maiores gostos na vida, mas mesmo para quem pensa não apreciar muito, é um hábito fácil de adquirir).

Assim sendo, acordei às sete e meia da manhã (acordar cedo também ajuda), liguei o portátil, pu-lo a reproduzir músicas e fiz um pequeno aquecimento de meia hora. 

Após esse tempo, já quente e desperta, só me restava um bom pequeno almoço para abrir os livros e pôr mãos à obra. 

Comi um bom pequeno almoço, à base de sucos de fruta e cereais (os meus hábitos alimentares são assunto para outros posts).

E aqui estou eu, cheia de energia e disposição para me entregar à cultura.

Obrigada por leres o meu post de hoje! 

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Dias Menos Saudáveis


Olá pessoal!

Peço imensa desculpa já não escrever à algum tempo, mas tenho estado muito ocupada.

Hoje vou falar de doenças comuns como gripes, amigdalites, constipações, febres (não muito elevadas), entre outros. Não vou explicar nenhum delas, mas vou referir o que penso que se deve fazer quando as temos.

Acordei às sete da manhã, como habitualmente, para arranjar-me para a escola, quando reparei que a dor de garganta que me começara de noite, continuava. Fui ao espelho, e reparei que tinha a garganta inchada (um início de amigdalite).

Como agiria? As hipóteses eram quatro: ir à escola, agasalhada, sem tomar qualquer tipo de medicamento; ir à escola e tomava um medicamento; ficar em casa e medicava-me ou ficar em casa, agasalhada, à espera que a amigdalite passa-se.

Como faço sempre, escolhi a última hipótese. Ficar agasalhada e dormir o máximo possível ao longo do dia, para além de ingerir líquidos quentes, como chá, é uma forma eficaz de resolver este tipo de problemas, sem desafiar o organismo.

Por vezes, a espera, e o "não fazer nada" é a melhor cura - ao deixarmos o corpo recuperar sozinho, estamos a permitir com que ele se fortaleça de uma maneira "natural" e sem efeitos secundários.

O corpo também fala, fala através de como nos sentimos: muitas da vezes está a pedir-nos que mudemos alguns dos nossos hábitos que o prejudicam. 

Ontem estive ao frio, hoje acordei com a garganta inchada. Só me resta "ouvir" a reclamação do corpo e manter-me na imobilidade todo o dia.

Em suma, o meu conselho é o seguinte: Antes de pensarem que não é um mau estar que vai parar a vossa vida, ou que os medicamentos resolvem tudo, pensem no que o corpo vos pede - o primeiro a fazer-se é repousar.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Planos de Trabalho - Composição


Recentemente, tive um teste de português sobre Fernando Pessoa ortónimo (escreveu poemas que acho admiráveis, quer como ortónimo, quer sob a pele dos heterónimos, mas que poderei falar deles noutra ocasião), e ao estudar, ao treinar composições, escrevi uma sobre os planos de trabalho e os seus benefícios. Esta acabou por não sair no teste, mas ajudou a consolidar na minha mente, a minha própria opinião sobre o assunto.

A composição tinha por base o seguinte trecho:
- "O hábito do trabalho modera qualquer excesso, induz à necessidade de organização, ao gosto pela ordem; da ordem material chega-se à ordem moral: portanto, o trabalho pode ser considerado como um dos melhores auxiliares da educação."

Achei interessante partilhá-la no meu blog:

O ser humano é insatisfeito por natureza. Ao longo do tempo da humanidade, Homens, quer positivos, quer negativos, debruçaram-se na procura incessante da felicidade, pois sentiam não possui a sua plenitude, a sua verdadeira essência, apenas fragmentos dela.
  Hoje em dia, a humanidade não mudou, mas descobriu-se a influência do trabalho no estado de espírito das pessoas e na cura de depressões.
 Como é referido no trecho transcrito, o trabalho pode ser considerado como um dos melhores auxiliares da educação, na medida em que os jovens, para terem objectivos futuros, sentirem motivação e interesse na educação, necessitam de ter a mente organizada o quanto baste. Por exemplo, um aluno que nunca, nem desenvolveu hábitos de trabalho, e não possui interesse nesse esforço e nessa ordem, decai na indiferença e no tédio por tudo o que lhe é imposto aprender, sendo a maioria dos seus dias tristes e vazios.
 Em contrapartida, um aluno que se obrigue a criar hábitos de trabalho, e comece a sentir prazer na organização dos dados, e dos métodos de estudo, começa a desenvolver um gosto diferente pela vida, não só a nível escolar, como a nível pessoal, intelectual ou sentimental.
 O trabalho é como o exercício físico, ocupa-nos, organiza-nos, dá-nos espírito de sacrifício, e contribui para o nosso positivismo e felicidade. Tal como um atleta, que trabalha anos, batendo os seus recordes constantemente, projectando meta após meta, também uma pessoa que se organize mental e materialmente, planeando o necessário na sua vida (sem deixar de viver a espontaneidade, por querer controlar tudo), consegue alcançar patamares na sua vida, anteriormente inimagináveis, quer a nível físico, mental e espiritual, como a nível social, profissional, entre outros.
 Em suma, o trabalho com medida, é fundamental para o desenvolvimento da nossa essência interior, e o conhecimento mais aprofundado do "eu".

Ao contrário do que possa parecer à primeira vista, com este texto estou longe de dizer que a vida deve ser rigorosamente planeada, até porque me considero uma pessoa muito mais dada ao sentimento do que à razão. Todavia, penso que os hábitos de trabalho podem ser bastante positivos para os Homens, sobretudo durante a juventude. Ao incrementarem o gosto pela vida, ajudam a desenvolver sentimentos como a solidariedade, a piedade, que podem ser úteis para toda a sociedade.

Obrigada pela vossa leitura! J

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Na Vida não devemos ser de extremos: há que planear o necessário e, de resto, deixar-mo-nos levar pela espontaneidade

sábado, 13 de outubro de 2012


Alma que Vive


Sentada na paragem, de manhã,
Distanciada, olhei o céu.
E como a dualidade faz o equilíbrio,
Meio estava límpido, meio como o breu.

O bem e as trevas completam-se.
Entre eles há uma linha muito ténue…
Nós somos, eu sou essa linha nascida alma.
Que a viagem assim continue.

Quando debaixo de nuvens negras,
Onde o brilho não sacia o olhar,
Eu sei como abstrair-me, como me evadir…
Mesmo que não em corpo, no lugar,
Faço-o em pensamento, a pairar.

E com música nos ouvis,
Subo até às nuvens, e nelas danço.
Por cima, não há mais nada, só paz…
Um palco de calma e melodia,
Onde o escuro se torna harmonia.

Porque hei-de limitar-me
Àquilo que o que me rodeia parece,
Se os sentidos enganam,
E a verdade se desvanece?

Sinto o aconchego do sol,
Escolho ao nevoeiro não me render.
Caio, tropeço, levanto-me…
Mas tudo isto é viver!

domingo, 23 de setembro de 2012

Estava a ver o filme "Karaté Kid" e uma frase ficou-me na mente:

- A mulher estava calma e serena, na mente e no coração, então a cobra seguia os seus movimentos, tal como a água sem movimentação reflete a nossa imagem,...

E assim procuro viver, Calma e Serena, sem dar muita primazia à ansiedade

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Enquanto perdemos tempo a pensar no 

passado e a programar o futuro, a vida 

passa-nos ao lado! É por isso que estou 

a dançar e a fazer o que gosto, a viver, 

só no presente!

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Olá pessoal!

Como estão? Têm dormido bem? Tido um bom dia?

No meu post de hoje, vou falar-vos de um alimento fundamental para a nossa saúde: A amêndoa!

A amêndoa é um fruto seco, também conhecida como fruta oleaginosa, logo é uma fonte de fibras, e é rica em vitaminas e minerais como potássio, selênio, magnésio e zinco, entre outros.

Além disso, também nos fornece proteínas necessárias ao organismo, e contribui para estimular o cérebro. 

"Para funcionar corretamente, nosso cérebro necessita de muita energia, deixando resíduos oxidantes no fim o trabalho. Para compensar “esse lixo químico” do cérebro, uma alimentação com nozes, castanhas e óleos vegetais provê nutrientes importantes, os antioxidantes. Deixar esses alimentos de fora do cardápio pode acarretar doenças como obesidade, hipertensão e até câncer. Amêndoas e outras castanhas têm vitaminas E, B, cobre, zinco, proteínas e as gorduras do bem, além de benzaldeído, que ajuda na remoção de radicias livres e diminui em 50% as chances de problemas caríacos.ç mas, atenção: só se consegue todos os benefícios com consumo diário." - from Jornal Correio do Povo

Atenção, os óleos vegetais não incluem os hidrogenados como comemos em inúmeros produtos alimentares do quotidiano, como na margarina.

É por isso que eu consumo muita amêndoa! :)

E a primeira coisa que ingeri hoje (depois de beber água) foi:

Um frasco de leite!


Mas não foi um leite qualquer, foi leite de amêndoas doces feito pela minha mãe.

Agora estou pronta para o meu dia!

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Aniversário da minha avó

Olá a todos!  Bem vindos mais uma vez ao meu blog! :)

No passado Domingo a minha avó materna fez 83 anos, e continua uma jovem de alma. Não podíamos deixar de fazer uma festa para comemorar, e resolvemos fazer um almoço e convidar alguns familiares para passarem o dia connosco.

Fizemos o almoço, rissóis (para o lanche), entre outras coisas...e eu ajudei a minha mãe na cozinha. Fiz este post para vos mostrar o bolo principal do dia, o bolo de aniversário cuja confeção teve muita mão minha.

Espero que gostem do aspeto, eu e a minha mãe esforçamo-nos para o enfeitar bonita e originalmente.


Como podem ver tem um A ao centro (molho de morango caseiro) de Atelina, o nome da minha avó. Foi todo coberto de branco, e levou as raspas de chocolate e as pintas vermelhas para dar cor.
 Os parabéns foi uma ideia para animar ainda mais o bolo :)


Não havia vela de 3, então é como se a minha avó fizesse 8 anos xp.


Na imagem acima está o aspeto do bolo por dentro, com a sua base de chocolate.

Obrigada pela vossa visita! :)

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Enquanto houver alguém...



Olá a todos os leitores!

Fiz este poema para agradecer a todas as pessoas que passaram, estão, ou algum dia virão a fazer parte da minha vida, pois são fundamentais para mim.

Para elas, eu só quero o melhor!

Dizem que, por vezes, sou um pouco dramática a escrever...eu tento dar ênfase a cada emoção...

Espero que gostem:

Encostei-me na almofada,
E rendi-me à tristeza,…
Não precisei de explicação,
Qual a sua natureza?

Deitada, de olhar distante,
Ignorava a televisão acesa,…
Fixei um ponto na parede,…
Uma lágrima, na sua vagareza.

Inúmeras e sólidas imagens,
Me passaram pela mente,
Tenho uma vida fantástica,
Porque estava tão demente?

Sem saber o motivo,
Deixei-me assim ficar,…
Espera, o que é isto?
Despertou-me aquele olhar!

Compreensiva e serena,
Minha mãe me olhou.
Desejou-me boa noite,
E do quarto abalou.

Pais, outros familiares e amigos,
Todos me chegaram ao coração.
Devia estar a espalhar amor,
E estava a deprimir no colchão?

Há tanta gente no mundo,
Que acredito que gosta de mim…
Quem sou eu para emanar tristeza,
Deixando-me ficar assim?

Hoje estou a ver o Sol:
Os pássaros cantam para mim,
A música enche a minha alma,
E vivo entre cravos e jasmim.

Enquanto houver alguém a amar-me,
Seguirei o caminho da felicidade!
Fora de questão afundar-me,
Sorrirei em campo ou cidade!

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

domingo, 26 de agosto de 2012

Paz Interior


O que busca a harmonia e o amor,
Começa agora a grande viagem:
Rumo ao que é simples e natural,
Que é tudo menos miragem.

Esse mal que tens e que escondes,
Até podes das pessoas ocultar,
E da tua mente desviar,…
Mas às forças do Universo,
Não há segredos por revelar!

Preocupa-te com o que pensas,
O que desejas, e o que fazes.
Quando quiseres ir pela estrada torta,
Lembra-te: o que vai, volta!

Não te rendas a esse medo,
Não o deixes imperar!
Pede a paz interior,
E o respeito para amar.

Essa tua luz que brilha,
Deve o mundo irradiar.
Sorri, deixa-a mostrar-se!
Se a queres, se a acreditas,
Assim virá, sem adiar!

O tempo cura tudo,
Só se nós o permitirmos.
Abramo-nos ao amor,
Enchamos a alma de cor! 

Bolo e Biscoitos Sem Ovos


Olá pessoal!


Ontem estava em casa a ver televisão (nada de interessante) e pensei: porque não faço um bolo?

E então pus a mão na massa e resolvi fazer um bolo sem ovos e sem muito açúcar.

E assim ficou um bolo de cacau e amêndoas (apanhadas por mim):


Mas como me sobraram amêndoas picadas, resolvi fazer uns biscoitos. Ao invés de usar cacau, utilizei alfarroba, e ficaram igualmente bons. 


A alfarroba dá aos bolos esta cor mais escura.

Ambas a receitas são fáceis e muito rápidas de fazer.

Se alguém estiver interessado na receita é só dizer :)

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Brave - O Filme

Olá pessoal!

Espero que estejam a aproveitar o Verão, e este bom tempo, para fazer aquilo que gostam e que não fazem o resto do ano.

Hoje, dia 15 de Agosto, resolvi fazer um programa diferente: ao invés de ir à praia, ou de ficar em casa a jogar ou a ler, fui ao cinema mais próximo para ver a estreia do filme de animação Brave - A Indomável!




Porque resolvi ir ver este filme?
Bom, para além de gostar de animações, sempre achei que as mulheres deviam ter um pouco da rebeldia e da bravura da protagonista do filme,...

Se foi como eu esperava?
Posso afirmar que o filme superou as minhas expectativas!

Brave - A Indomável não se trata simplesmente de um filme com uma rapariga habilidosa a usar o arco e a flecha que detesta a vida de uma rainha. 

Trata-se de uma filme que nos leva a reflectir sobre nós mesmos numa compilação de aventura, magia e muitas gargalhadas pelo meio,...com o derrame de algumas lágrimas para os mais emocionais. 

Se estão a pensar ir ao cinema, Brave é uma óptima escolha  para quem gosta de animações com moral, para quem é corajoso,...e para quem acredita que pode mudar o seu destino!

Como a protagonista diz no final: "Há quem diga que não podemos mudar o nosso destino. Eu cá acho que podemos! Só temos de ser Indomáveis!"

Sejam Indomáveis!

domingo, 12 de agosto de 2012

Todas as pessoas passam por bons e maus momentos ao longo da sua vida.

Cabe a cada uma decidir se é uma pessoa triste que de vez em quando tem menos azar, ou uma pessoa feliz que por vezes está menos bem.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

O Meu Primeiro Bolo de Cenoura

Sejam bem-vindos caros leitores!

As aulas terminaram e as férias já começaram à algum tempo. Eu estou no meu tempo de descanso e penso que a maioria de vocês também está de férias.

Tenho aproveitado estes dias para correr, jogar, sair com amigos, dormir, dançar... Enfim fazer o que normalmente se faz quando nada nos é exigido...

Todavia, já é mais do que altura de começar a fazer alguma coisa como ajudar na lida da casa, coser, cozinhar, etc...

E é disso mesmo que vou falar hoje. Estive a dedicar-me à cozinha e, para além de ter feito o almoço (peixe grelhado), fiz um bolo de cenoura - digamos que é o primeiro bolo de cenoura que faço sozinha. 

Eu acho que o resultado foi bastante bom, ficou maior do que eu esperava.
E ficou assim de aspeto:











Não parece mal hein? De sabor também ficou bom, pelo menos para mim...

Vi a receita no youtube, através do sabor intenso (parte da publicidade).

Até à proxima! :)

segunda-feira, 16 de julho de 2012

O Meu Amor

O Céu tornou-se límpido,
Não há nuvens a esconder o sol,...
E se as há, formam figuras:
Será aquela um girassol?


As estrelas lembram-me de ti,
Assim como as flores e o mar,...
Vivo numa alegria constante:
Sim, estou-te a amar!


Será que já o sabes?
Terá o vento te contado?
O dizer "Amo-te" não é tudo,...
É uma consequência do sentimento,...
Mas sou capaz de o ter mencionado...


O meu amor é intemporal,
Sinto que sempre te amei.
Se me perguntas o que pretendo,
Dizer-te-ei nos olhos: o teu bem!


Porque suavisaria as barreiras,
Para tas ajudar a ultrapassar.
E faria palhaçadas ridículas,
Só com o intuito de te animar.


Para ti sempre terei um sorriso,
Um ombro e um coração.
És as estrelas, a música,
A gravidade de que preciso.
De mim sempre terás apoio,
Basta me dares a tua mão.


O teu sorriso encanta-me,
O teu otimismo é inspirador,...
Muito falamos, "parvamos",
Até mesmo provocamos,
Guardo tudo com fervor.


A vida é para celebrar!
Já não basta os dias de dor,...
Sorri, nunca te sintas só,
Terás sempre o meu Amor!

segunda-feira, 2 de julho de 2012

A Abelhinha que Mudou de Prado



Há quem fale sentidamente
Daquele prado de Arruda…
Grande era o gosto da gente
Ao vê-lo crescer, evoluir, florir,
Com uma alegria profunda.

Havia uma bela abelhinha,
Delicada, preta e amarelinha
Que diariamente o percorria.
Pousava em cada flor, ajudava-a,
E o seu pólen recolhia.

E assim passava a vida…
O prado com a sua abelhinha,
Que o preenchia de vivências
Com saber e amizade!
Era a harmonia de verdade!

Cada flor com suas cores, com
Pétalas maiores ou mais pequenas.
Cada uma tratada e amada,
Tais pássaros de coloridas penas.

Todas adoravam  aquele ser
Que voava os prados gracioso.
Com as suas azinhas e sorriso...
Tal beleza e habilidade,
Nada mais era preciso!

Mas os ventos mudaram,
Notou-se a diferença…
A abelhinha resolveu partir,
Deixar o prado, apenas ir…

Diz-se que seguiu o seu destino,
Agarrou novo rumo e seguiu-o…
Procurou o seu lugar noutro lado,
Disse adeus e voou,
Tal caminho marcado…

A despedida foi longa, dolorosa,
As pétalas renderam-se à gravidade
(Encurvaram-se e murcharam).
Quem as viu, diria de choraram.

Mas a abelha era conhecedora,
Disse-lhes para se erguerem,
Continuarem e crescerem.
As flores olharam o sol,
E com a sua luz renasceram.

As pétalas ainda brilham,
A sua cor não desapareceu,
Apenas mudou, alterou-se…
O prado é outro, mas não morreu!

Outras abelhinhas o preenchem,
E muito amavelmente o trabalham.
Novas amizades se construíram.
Novas germinações vieram…

Uma coisa não se esquece,
Está marcado em cada raiz,
Cada caule, cada grão.
A passagem da primeira abelha.
E a sua entrada no coração.

A flores juntam-se e sorriem,
A saudar a sua existência.
Viram a sua partida.
Mas têm a sua permanência.

Este poema e para ela,
Essa abelhinha delicada,
Que um prado encantou.
Foi de tal maneira importante,
Que as várias gerações marcou!

Que ela nunca pare de voar,
Que seja feliz em qualquer lugar!


sexta-feira, 18 de maio de 2012

O Caminho



Desço do autocarro, toco a calçada.
O Sol aperaltou-se e mostra-se vigoroso.
A brisa da tarde envolve-me,…
Que começo lindo e espantoso!

De um lado correm estudantes sorridentes,
Regressando do almoço rápido, no café;
Do outro prolonga-se o passeio marcado,
A base de cada passo, independente da fé.

O caminho pode ser breve,
Se olhar para o chão diante de mim,
Se todo o alcance for uma passada,
Curta, a jornada esperada.

Mas grande é a surpresa,
Aquando ergo o meu olhar:
A distância estende-se ao infinito,
Numa linha sem indícios de acabar.

Olho as árvores e as casinhas,
Nos montes, nas alturas,…
Avisto o João, na sua hortinha,
A colher frutos e verduras.

Há quem o ache monótono,
Todos os dias igual, repetido.
Por vezes eu mesma penso:
Porque não muda, o caminho?

Oh! Mas como o tempo é sabido!
Transforma o mundo em milhões de anos,
Muda um quadro vivo num segundo,…
Nunca a viajem se repete,
Nunca um respirar é do mesmo profundo.

Por vezes posso estar triste demais,
Pensativa demais, bloqueada demais,
Para apreciar as diferenças,
Adorar as semelhanças,…
Por ventura, em dias inspirados,
Quando as cores vêm com o vento,
Não consigo ser insensível, egoísta,
Deixando problemas exagerados
Roubarem-lhe cruelmente o valor.
Cada caminho merece ser analisado,
Vivido, aproveitado com sentimento.
Cada caminho retribuirá com sorrisos,
Boa disposição em todo o momento.

Caminho de volta, caminho de ida;
Caminho de muitas histórias;
Caminho de uma vida! 

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Dança




Da experiência Humana
Tiramos uma conclusão:
Nem sempre temos sonhos,
Ou cremos na sua realização…

Todos temos problemas,
Mas costumamos exagerá-los
Com incertos/falsos dilemas.

Como dizia Bob Marley:
Ao pensarmos no assunto,
Só duplicamos a gravidade.
Digo por experiência própria,
É uma grande verdade!

No meu percurso de vida,
Descobri um incrível lugar,
Onde as más horas se dissipam.
Só há lugar para sonhar!

Deram-lhe o nome de Dança,
Criaram-no cheio de alegria,
Para que tudo fosse possível.
A dançar sou o que quero:
Um reflexo, alguém invencível,…

Seja qual for o solo que
Pisemos no momento,
Ao ligarmos as colunas
Enchemo-lo de movimento.

Cada passo, cada pirueta,
Preenche a minha vida.
Com eles sou romântica,
Realista, e dramática.


Já fui vilã, uma princesa,...
Visito escombreiras, pó,...
Contato com a Natureza.

Cada coreografia vive,
Tem um significado.
É uma representação,
É um misto de emoção.

Traz novas e várias formas
De ver o amor, a amizade.
Junta várias esperanças,
Num centro de fraternidade.

Desde que ela me agarrou,
Sinto que nunca a vou deixar:
É um mundo mágico,
Que só pretendo partilhar.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Noite de Quinta-feira


É quinta-feira, a noite, caracterizando a Primavera, está quente. Lá fora chove.
Encontro-me sentada sobre a cama, com a luz do candeeiro da mesa-de-cabeceira acesa, uma almofada atrás das costas, e a Rita (a minha cadelinha) a dormir encostada às minhas pernas. É meia-noite.

 Vim para o quarto para dormir – não tinha sono, mas tinha planeado ler um pouco antes de adormecer – mas algo não deixou… Ao atravessar a comum rectangular porta de madeira para o interior do meu quarto, fui saudada por um cheiro agradável de erva molhada (próprio da estação) que vinha da janela entreaberta, e pelo melancólico, constante e ritmado som das gotinhas de água a baterem no chão, no telhado,…

 A chuva invadiu a noite, e não podia adormecer antes de lhe dar o devido valor. Assim como os belos dias de sol, secos e quentes, também os dias de chuva me inspiram – tinha de escrever sobre eles!

 Como é maravilhosa a perceção que a minha janela me dá do mundo lá fora: tantos aromas, sons,… - tudo sintetizado como numa tela de cinema (mas mais pequena e real).

 Estou tão bem! A Rita, já acordada, olha para mim com os olhinhos muito abertos (provavelmente a perguntar-se porque não me deito). Sinto os músculos cansados da tarde em que estive a dançar, a aprender, a divertir-me com pessoas importantes para mim – tudo isto me aconchega e me faz sentir feliz. Aqui, sentada, passo pelas imagens do meu dia, e compilo-as neste texto, neste cair de chuva, neste cómodo cansaço.

Após dar utilidade à caneta e ao caderno cor-de-laranja que tinha em cima da mesa de cabeceira sinto que o sono começa a chegar, e pretendo render-me a ele…

segunda-feira, 26 de março de 2012

Folha Branca de Papel

 
















Seguro a branca folha
Pura, vazia de palavras.
Pego no repousado lápis,
Com o qual, outrora,
Davas uso, desenhavas.

Deito a cabeça sobre a mão,
Sem ideias, olho a alvura.
Necessito, busco inspiração…
Onde estará nesta altura?

Tamanho turbilhão de ideias
Percorrem a minha mente…
Escreverei sobre o futuro?
Passado? Sobre o presente?

Pelo papel passam vidas,
Sofrimentos sufocantes,
Alegria e esperança…
Passam risos de criança…

A folha torna-se um livro:
Mostra estudantes, professores,
Valsas, combates, canções…
Reflete realidade e fantasia…
Princesas, duendes e dragões…

O quadro está imaginado,
É preciso escolher os traços.
Gastar o carvão, escrever,
Dar os segundos passos.

Mas cada gota de amor,
De amizade, de bravura,
É digna, boa musa de poesia.
Por onde começarei,
Pelo nascer do Sol,
Pela sua maravilha?

E esta simples folha?
Que atura o meu olhar,
Me ouve silenciosamente,
Dá-me incentivo a começar…

Ela que possua as estrofes,
Que seja lida, valorizada.
O poema está terminado.
E a folha bem enfeitada.