sábado, 9 de julho de 2011

Dia de Verão - poema

Hoje, não sabia o que postar no meu blog e este poema surgiu do nada. É básico, simples e comum, mas retrata um dia de Verão, e estando nós no Verão, não podia deixar de publicá-lo.


Acordo de manhã,
Na minha cama macia.
Abro os olhos, e
Sou presenteada
Com este dia.


O Céu está azul,
O Sol a brilhar,
Que preciosa tela,
Diante do meu olhar.

Lá vem a Rita (a cadela),
Com o rabo a abanar,
Salta de felicidade,
E pede-me para brincar.

Desço para a cozinha,
Para um sumo beber,
Depois ficou a pensar:
O que vou fazer?

Computador, cantar,
Dançar, ou piscina?
Tantas possibilidades,
Me oferece este dia.

Resolvo sair, para
De bicicleta andar.
Avisto a Atelina,
Que me está a acenar.

Chego a casa contente,
E aí, vou almoçar.
Seja lá o que for
Não há problema
(a minha mãe sabe cozinhar)!

Depois vou jogar,
No precioso computador.
Seja sims ou não,
Tudo tem o seu esplendor.

Após horas de virtualidade,
Decido: É hora de ler!
Agarro num bom livro,
É hora de conhecer!

O jantar está pronto,
À mesa me vou sentar.
Segue-se a internet,
Para com o mundo
Me conectar.

Depois deste maravilhoso dia,
Digo adeus, vou dormir.
Espera-me amanhã outro destes,
Em que acorde a sorrir.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Sentido da Vida - poema

A vida é curta,
É o que ouço dizer,
Mas muitos falam
Estão fartos de viver.

Neste globo
Chamado terra,
Há muito para fazer,
Mas o sentido da vida
É difícil de entender.

Há quem o encontre
No trabalho, em papéis,
Numa projecção,
Há quem o faça no amor,
Em assuntos do coração.

Há quem corra a maratona,
E diga que isso o faz viver.
Há quem permaneça bêbedo
E mais um golo queira verter.

Há quem não tenha a noção,
Do caminho que deve seguir,
E partilhe a sua dúvida
Em prosa e poemas
Que nos fazem sentir.

Eu, se falar por mim
Digo que o sentido não sei,
Mas vivo, divirto-me
E quero ir mais além.

Com música nos ouvidos,
Ou uma guitarra na mão,
Sou uma viajante do mundo,
E vivo com paixão.

Se me perguntares
O que está correcto,
Eu digo que não sei.
Mas se seguir o coração,
Sei que estou a viver bem.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Rita (A Cadela) - Novo Descanso

A minha cadela, a Rita, anda sempre à procura de novos lugares para passar a tarde a dormir.

E qual foi o mais recente?...


Um cesto (minúsculo - mas ela também é pequena) com uma almofada:



Não é tão fofinha?



Diz "Olá!" à câmara!

segunda-feira, 4 de julho de 2011

O que é a dança? - poema

 Eu adoro dançar, e hoje quando acordei pensei "Vou fazer um poema..." -  quando dei por mim estava a escrever sobre a dança.

O que é a dança?

Toda a minha vida
Gostei de me expressar
Imaginar, criar,
Parada, viajar
Para qualquer lugar.

Não a procurei,
Ela me encontrou.
A dança chegou
E tudo possibilitou.

Porque a dança
Não tem definição,
Ela é um misto de tudo
Num simples
Movimento de mão.

É mais do que técnica,
É muito mais profunda.
É uma companheira de vida,
É um ponto de partida.

A dança é alegria, é poder
É coragem, é paixão!
É arte, é imaginação,
A dança é emoção!

A dança é um confronto,
É negar, dizer não!
É quebrarmos as correntes
Que nos prendem ao chão.

A dançar sou super-mulher,
Sou doida, sou selvagem.
Sou uma viajante do tempo,
Desfrutando da viagem.

Sou uma mesa ou um cisne,
Uma árvore ou o ar.
Sou livre, tenho asas
E a capacidade de voar.

A dança é silêncio,
É mil vozes a gritar,
É o som do vento,
Ou dum rádio a tocar.

A dança é choro
De pura felicidade.
Preenche-nos a alma,
A dança não tem idade.

A dança é uma prenda,
Uma irmã, um conforto
É amizade, é união
É um abraço, é compaixão.

A dança é tudo isto e mais,
É um mundo perfeito.
Dos barcos é o cais.

Se tanto como eu,
Gostas de dançar
Deves compreender
Do que estou a falar.