quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Tristeza


Digamos que é um poema bastante triste, e até desesperado...Mas não pensem que me sinto assim. Foi feito num momento em que me sentia menos bem e, para escrever este poema, imaginei como seria uma multiplicação acentuada da minha tristeza. O resultado foi o que podem ver:

Tristeza


Onde se esconde o positivismo,
Que sempre me caracterizou?
O espírito animado e sonhador?
Para onde a esperança voou?

E os pensamentos que
Tornavam a tristeza,
Uma vírgula numa composição?
Onde está a energia,
Que fluía da minha mão?

Não sei o que pensar,
Não sei o que sentir.
Percuto tudo a procurar,
Não vejo caminho a seguir.

Parar é insuportável!
Andar é em vão!
Nem em lágrimas são consolo,
Aqui, sentada no chão.

O que sempre gostei,
Perdeu o sentido.
Que farei eu?
Sou um ser perdido…

Sem razão aparente,
Não me interesso por nada.
Não cheiro, não ouço,
E minha voz está calada.

Esta dor que me assola,
É uma facada no coração,
A minha alma preenche,
É minha única emoção.

Já não tenho expressão,
Meus olhos não têm vida.
Respiro, mas não sei o porquê…
Já nem demonstro que em mim,
Está uma tristeza desmedida.

Nota: Todos os poemas do meu blog são da minha autoria. Se algum não for colocarei o nome do autor.

3 comentários:

  1. está espectacular
    quero maaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiissssssss...
    xD

    ResponderEliminar
  2. bem, adoro os teu blog, Anita :) continua assim. beijinho :)

    ResponderEliminar
  3. QUE LINDO!!!!ISSO QUE SINTO AGORA.

    ResponderEliminar